Linkei Linkei
Você está no Blog

Diálogo, vínculos afetivos e a construção do conhecimento

A utilização de estratégias que possibilitem criar diálogo e vínculos afetivos entre educadores e alunos e/ ou entre alunos e alunos permite amenizar problemas de evasão, desmotivação e sentimento de solidão.  Favero e Franco (2006) em sua pesquisa sobre a importância do diálogo para educação à distância via web destaca que interações e vínculos afetivos são essenciais para evitar evasão do aluno e, principalmente, para maior geração do conhecimento. 

“Toda a experiência de aprendizagem se inicia com uma experiência afetiva. É a fome que põe em funcionamento o aparelho pensador. Fome é afeto. O pensamento nasce do afeto, nasce da fome. Não confundir afeto com beijinhos e carinhos. Afeto, do latim affecare, quer dizer “ir atrás”. O afeto é o movimento da alma na busca do objeto de sua fome”.  (FAVERO e FRANCO, 2006, p.4).

Os autores ressaltam ainda a importância da teoria de Piaget e Vygotsky para proporcionar situações que permitam interação e aprendizagem colaborativa. Porém, como destaca a autora, nem toda situação de interação gera conhecimento ou diálogo, por isso, a utilização das pesquisas de Piaget e Vygotsky para que as interações possuam conteúdo significativo e não seja apenas uma conversa.

Para que exista interação e diálogo é necessário que os envolvidos - educadores e alunos - tenham humildade, respeito, e principalmente, motivação e vontade de dialogar. E quando isso acontecer, sejam afetivos, expressem emoções e sensibilidade, e se sintam parte do processo. Os diálogos devem possibilitar criar significados, adquirir de novos saberes (FAVERO e FRANCO, 2006).

Portanto, segundo o MEC (2007), a interação entre professores, tutores e estudantes é um fator chave de sucesso em curso a distância que prima pela qualidade do ensino

A interação além de ser entre professor-estudante, tutor-estudante e professor-tutor devem ser também entre colegas de curso no intuito de evitar o isolamento e manter o curso instigante, motivador de aprendizagem para que o estudante se sinta pertencente ao grupo, assim, se faz necessário realizar atividades coletivas que incentivem a comunicação entre colegas.

Portanto, mediante ao exposto, afere-se que para amenizar o sentimento de solidão da aprendizagem via web, situações desafiadoras de aprendizagem e conflitos cognitivos gerados pela teoria de Piaget e Vygotsky, o aluno necessita de autoestima, se sentir confiante e motivado, ser ouvido e valorizado, saber que ele não está sozinho nem interagindo com máquinas, e sim, com pessoas que se preocupam com ele. Com isso reduz a sensação de isolamento, uma das principais causas de perda de qualidade e evasão nos cursos a distância (MEC, 2007).

Favero e Franco (2006) destacam que na educação à distância pela internet a interação e diálogo são possíveis graças às ferramentas de comunicação disponibilizada pelos Ambientes Virtuais de Aprendizagem – AVAs – que será apresentado a seguir.

Continue a leitura com o texto "Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVAs)"

Referências:

Comentário